Aplicar testes psicológicos online: sim ou não?

A utilização das novas tecnologias veio, com toda a certeza, trazer-nos muitas vantagens no funcionamento e organização do nosso dia a dia. Permite-nos uma melhor organização do tempo, uma maior rapidez na realização das tarefas e uma enorme poupança de tempo. Mas as novas tecnologias serão, sempre, uma vantagem? Serão aplicáveis a todos os contextos?

Estas questões ganharam um novo destaque após o lançamento da nossa plataforma online para a aplicação de testes psicológicos – TP Online by Cegoc. Através desta plataforma é possível aos examinandos responderem aos testes e questionários diretamente no computador eliminando, assim, a necessidade de utilização de grande parte dos materiais físicos (i.e., caderno de aplicação, folhas de resposta, cronómetro, etc.) e suprimindo por completo necessidade do psicólogo proceder à correção do teste, uma vez que a plataforma o faz automaticamente.



À primeira vista, a utilização de computadores e a possibilidade de realização de testes psicológicos à distância parece comprometer a validade, a exatidão, a confidencialidade e a função do psicólogo no processo de avaliação. No entanto, os vários estudos que têm vindo a ser realizados nesta área demonstram que as versões online dos testes são equivalentes às versões em papel e lápis, mantendo propriedades psicométricas semelhantes (Chuah, Drasgow & Roberts, 2006; Davis, 1999; Gosling, Vazire, Srivastava & John, 2004). Já em 1989, Inouye e Olsen demonstraram não existirem diferenças significativas ao nível da performance consoante o método utilizado: testes em papel e lápis e testes online.

Outra problemática associada ao tema relaciona-se com a crença de que existe uma maior propensão para “falsificar” as respostas, quando que realiza um teste online. Efetivamente, estudos indicam que os participantes se sentem mais confiantes da sua habilidade para falsificar respostas quando os testes são realizados online (Grieve & Elliott, 2013). No entanto, Grieve & De Groot (2011) demonstraram que, não existem diferenças estatisticamente significativas ao nível falsificação de respostas quando se comparam os dois métodos de aplicação.

Não obstante, é preciso ter em conta que, à exceção dos testes de interesses e de personalidade, todos os outros deverão ser realizados em ambiente controlado, com a presença de um Examinador. Nestes casos, a realização online de testes psicológicos não pode ser sinónimo de “realização à distância”.

Em suma, os testes psicológicos online podem ser bons aliados no trabalho dos psicólogos, não só na poupança de tempo relativamente à correção dos testes, mas também na facilidade de aplicação das provas. São também sinónimo de redução de erro, quer no que diz respeito à aplicação do teste quer no que diz respeito à sua correção.

Não obstante as vantagens mencionadas, não se pretende, de forma alguma, que o psicólogo seja excluído do processo de avaliação. Pretende-se sim que as tarefas burocráticas envolvidas no processo de avaliação sejam reduzidas/eliminadas, permitindo ao profissional dedicar o seu tempo e atenção à análise e interpretação dos resultados, ao diagnóstico e/ou eventual intervenção.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Escreva o que pretende e carregue na lupa para pesquisar