Abandono Escolar no Ensino Superior: a utilização da Escala de Motivos para Evasão do Ensino Superior


O abandono escolar tem estado na ordem do dia em Portugal e não é assunto para menos: Portugal tem a quarta taxa de abandono escolar mais elevada da União Europeia. Apesar de as estatísticas terem melhorado nos últimos anos, os dados mais recentes dizem-nos que mais de 1/3 dos estudantes deixa o secundário antes de o concluir (dados da OCDE). Se nos referirmos apenas ao Ensino Universitário, o panorama mantém-se. No nosso país, cerca de 14% dos jovens entre os 18 e os 24 anos deixam, prematuramente, a educação e a formação (dados publicados pela Eurostat).

Num estudo divulgado em 2015, pela Direcção-Geral das Estatísticas da Educação e Ciência, percebemos que a nota de ingresso na universidade está diretamente relacionada com o sucesso: 40% dos alunos que entram no ensino superior, com uma média mínima de ingresso (i.e., 10 valores), abandonam os estudos até ao final do primeiro ano. A maior parte dos estudantes aponta razões financeiras para o abandono, mas há também quem aponte os métodos de ensino/aprendizagem, as modalidades/métodos de avaliação, a disponibilidade dos professores, a adequação das unidades curriculares ao curso e os aspetos profissionais (Ferreira & Fernandes, 2015) como algumas das razões para essa desistência.


Como prevenir?

A Escala de Motivos de Evasão do Ensino Superior (M-ES), editada pela Hogrefe Cetepp, avalia os potenciais motivos para a evasão de estudantes ativos no ensino superior. Com um total de 53 afirmações, a M-ES divide-se em sete componentes:
  • Motivos Institucionais
  • Motivos Vocacionais
  • Motivos relacionados com a Falta de Suporte
  • Motivos relacionados com o Desempenho Académico
  • Motivos Interpessoais
  • Motivos relacionados com a Carreira
  • Motivos relacionados com a Autonomia

A M-ES não é um teste psicológico, pelo que pode ser utilizada pelos diversos profissionais que trabalhem em orientação profissional e educacional, em serviços de apoio ao estudante do ensino superior. Trata-se de uma escala extremamente útil na identificação e monitorização dos motivos de evasão.


Referências

Ferreira & Fernandes (2015). Fatores que influenciam o abandono no ensino superior e iniciativas para a sua prevenção. Educação, Sociedade & Culturas, Nº45, 177-197.

Santos, N. F. (2017, Setembro 12). Portugal tem a quarta taxa de abandono escolar mais elevada da EU. Diário de Notícias Online.

Silva, S. (2017, Setembro 12). Mais de um terço dos estudantes deixa o secundário antes de o terminar. Público Online.

Viana, C. (2015, Maio 12). Abandono escolar no superior é de quase 40% entre os alunos que entraram com 10 valores. Público Online.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Escreva o que pretende e carregue na lupa para pesquisar